Guia de Episódios Prólogo Primeiro Ato Segundo Ato Terceiro Ato Quarto Ato

Produção #V809 - Episódio 09
 


ESCRITO POR
Melissa Good


DIRIGIDO POR
Denise Byrd


PRODUZIDO POR
C
arol Stephens

IMAGENS DAS CENAS
Judi Mair


TRABALHO ARTÍSTICO
Lucia


GRÁFICO DO TÍTULO DO EPISÓDIO
MaryD

TRADUZIDO DO INGLÊS POR
Chris Burle


 

PRÓLOGO

 

FADE IN:

 

CENA EXT. UM TANQUE DE PEDRA, SILENCIOSO E PROFUNDO NA FLORESTA - COMEÇO DA NOITE

 

O ar é denso e quente, apesar do fato de que já é quase pôr-do-sol. Insetos zunem por ali, mas os animais estão prostrados na floresta, esperando pela noite para começar a se movimentarem.

 

O tanque no chão está cercado de árvores e densa vegetação rasteira. Está difícil de ver, na verdade, como Xena e Gabrielle chegaram a onde elas atualmente estão.

 

Xena e Gabrielle se sentam nessa piscina natural, aproveitando bastante a água fria. Próxima de Xena há uma depressão na pedra, cheia de água. Uma garrafa repousa dentro dela, e há duas taças na beirada ali perto.

 

Gabrielle estende seus braços ao longo da rocha, deixando sua cabeça igualmente descansar para trás.

 

GABRIELLE

Rapaz, isso é maravilhoso.

 

 

Xena está mergulhada quase até o nariz, apenas seus olhos azuis estão visíveis. Ela vira a cabeça e olha para Gabrielle com uma expressão bastante séria, depois muito lentamente se ergue um pouco e esguicha uma boca cheia d'água em Gabrielle, atingindo-a no rosto.

 

GABRIELLE

(continua)

Bah! Xena!

 

Gabrielle golpeia a água com a mão e retribui o favor, mas a cabeça de Xena já tinha desaparecido debaixo da superfície. Depois de um momento, Xena emerge. Gabrielle estava esperando e esparrama água nela. Xena a alcança e faz algo dentro d'água que faz Gabrielle dar um gritinho e submergir.

 

Xena dá risada.

 

XENA

Ela nunca aprende.

 

Gabrielle emerge, e sacode a água dos olhos. Ela está sorrindo, porém, e parece estar gostando da rude brincadeira.

 

GABRIELLE

Você nunca me deixar dar

o último ataque, não é?

 

XENA

Nunca. Bons líderes

sempre dão o último lance.

 

Gabrielle se abaixa sob a água novamente e, depois de um segundo, os olhos de Xena praticamente saem da cabeça e ela estende a mão para agarrar Gabrielle, que desliza para fora da água e ri em silêncio da expressão dela.

 

XENA

(continua)

Isso não vale!

 

 

GABRIELLE

Tudo é válido no amor e nas batalhas de água,

Xena. Você me ensinou isso.

 

Xena ri, e balança a cabeça.

 

XENA

Verdade. Lembre-me de não te dar

tantos palpites da próxima vez.

 

Gabrielle encontra um novo lugar para relaxar... sentada entre as pernas de Xena e usando-a como descanso para os braços. Xena se inclina e desarrolha a garrafa, vertendo um pouco do seu conteúdo dentro das duas taças, e então entregado uma para Gabrielle.

 

GABRIELLE

Além disso, a liderança não é sempre assim

tão simples, Xena. Eu deveria saber.

 

 

XENA

(dando risada)

Você torna isso complicado. É muito mais fácil se

você simplesmente disser às pessoas o que fazer, e

quando elas não lhe escutarem, você as surra.

 

Gabrielle dá um gole de seu vinho agora gelado e suspira de contentamento.

 

GABRIELLE

Claro, se você for *você*.

 

Ela olha por sobre o ombro para Xena.

 

GABRIELLE

(continua)

Mas eu não sou você, e às vezes não é assim

tão fácil. Você tem que lidar com pessoas,

e conseguir que elas façam o que você

quer que elas façam de boa vontade.

A força nem sempre é a resposta.

 

XENA

(balançando a cabeça)

Liderança através das massas também

não é o caminho, Gabrielle. Veja as

Amazonas... tudo são negócios para elas.

 

GABRIELLE

E? Você não quer dizer que

Velaska estava certa, quer?

 

Xena toma uma bebida, dando a si mesma um momento para refletir.

 

XENA

Não.

 

GABRIELLE

Que droga. Ninguém tem todas as respostas

certas. Eu sempre achei que ouvindo as

pessoas... tomando suas idéias era o

melhor modo de tomar uma decisão

com a qual todos estariam felizes.

 

XENA

Não se espera que os líderes façam as

pessoas felizes, Gabrielle. Espera-se

que eles as mantenham vivas. E o

meu modo faz isso melhor.

 

Gabrielle lança um olhar para Xena. Xena sorri e encolhe os ombros. Gabrielle também encolhe os ombros, mas ela parece um pouco pensativa.

 

GABRIELLE

Bem, essa é uma questão discutível. As Amazonas

estão do outro lado do mar, e eu duvido que eu

terei a chance de colocar minha teoria em

teste com mais alguém em tão breve.

 

 

Xena coloca seu braço em volta de Gabrielle.

 

XENA

Você poderia tentar comigo.

 

GABRIELLE

(girando os olhos)

Oh, sim, claro. A original

'faça-do-meu-jeito-ou-caia-fora'

Xena, a Princesa Guerreira.

 

Ela dá uma cotovelada nas costelas de Xena.

 

GABRIELLE

(continua)

Não nesta vida.

Talvez na próxima?

 

XENA

Medrosa.

 

Xena faz cócegas no lado de Gabrielle. Gabrielle é pega no meio de um gole de vinho. Ela se vira e termina de cuspir o vinho todo sobre Xena enquanto ela ri, e ambas arremessam suas taças e começam a duelar na água.

 

GABRIELLE

Eu que vou te amedrontar...

 

 

A água se torna quase obscura com todo o estardalhaço de esguichos e vários movimentos rápidos de membros. Gabrielle está dando conta da luta até que Xena a agarra e pula metade do outro lado da fonte, acabando por levar a ambas para baixo d'água.

 

Está quieto na fonte. Poucas bolhas estouram. Os insetos zunem. Um sapo coaxa.

 

Xena e Gabrielle emergem da água juntas e caem novamente, enviando uma imensa onda de água sobre a beirada das rochas com um bramido significativo.

 

GABRIELLE

(continua)

Tema isso, sua...

 

Xena percebe que elas não estão sozinhas, e tapa a boca de Gabrielle com a mão enquanto ela abre caminho pela água. Gabrielle olha em volta, apenas para encontrar uma dúzia de homens e mulheres parados de pé em volta da fonte, observando-as. Eles estão vestidos em roupas lisas e brancas. Xena retira a mão.

 

GABRIELLE

(continua)

(em voz baixa)

Oh... Deuses... Eu espero que

não sejam virgens de novo.

 

XENA

Hum... nós poderíamos consertar

isso, se você estiver...

 

Gabrielle prontamente coloca a mão sobre a boca de Xena, e dá um sorriso para os homens e mulheres que as observam.

 

GABRIELLE

Oi. Há algo que possamos

fazer por vocês?

 

XENA

(murmurando)

Você tem que pedir por

problemas, não tem?

 

 

Um dos homens dá um passo à frente. Ele é de meia idade, e tem um rosto aprazível. Ele esfrega as mãos e olha para Xena e Gabrielle como se tivesse encontrado um tesouro diante dele. Dado o fato de elas estarem nuas, Gabrielle parece incerta se ela deveria se sentir injuriada ou lisonjeada.

 

HOMEM

Meu nome Escobar. Eu sou do vilarejo

de Delios, e os meus concidadãos

e eu estamos em uma busca.

 

Gabrielle se ilumina.

 

GABRIELLE

Oh, uma busca? Que interessante.

Que tipo de...

 

XENA

(interrompendo)

Pelo quê?

 

Escobar não parece se desconcertar com a atitude brusca de Xena. Ele possivelmente irradia um sorriso a ela.

 

ESCOBAR

Nós estamos em nossa busca anual para encontrar

uma estranha... uma sábia e nobre estranha,

a qual irá servir como rainha da

nossa cidade por um dia.

 

As sobrancelhas de Gabrielle se atiram pra cima, e ela parece intrigada.

 

XENA

Boa sorte. Agora, se

vocês nos derem licença...

 

GABRIELLE

Xena, espere um minuto...

 

ESCOBAR

Obrigado, mas nossa sorte tem sido

excelente! Nós apenas procuramos por

alguns dias, e agora a nossa busca

chegou ao fim. Nós encontramos

a nossa candidata perfeita.

 

XENA

Ótimo. Agora sumam.

 

 

Escobar retira um pergaminho. Está bastante gasto, e ele o desenrola cuidadosamente, examinando seu conteúdo. Um dos outros também o lê sobre o ombro dele, e assente com a cabeça em satisfação.

 

ESCOBAR

Sim, está tudo aqui. Olhos como

estrelas, cabelo tão escuro quanto a noite...

 

Xena pode ver onde isso tudo está chegando. Ela se levanta no tanque, deixando a água cobrir seu corpo como um lençol. Ela coloca as mãos nos quadris.

 

XENA

Nem mesmo pense nisso.

 

Escobar e o resto olham para ela, olham para o pergaminho, e sorriem. Escobar enrola o pergaminho novamente.

 

ESCOBAR

E beleza incomparável.

Por favor, você será nossa rainha?

 

Gabrielle cobre a boca e começa a afundar na água, rindo histericamente da expressão no rosto de Xena.

 

ESCOBAR

(continua)

Nós ficaríamos muito honrados.

 

Xena olha para Gabrielle, que está submersa até os olhos. Ondulações de água sacodem em volta de seus ombros enquanto ela ri.

 

XENA

*Nós* não achamos graça nisso.

 

 

FADE OUT.

 

FIM DO PRÓLOGO

 

PRIMEIRO ATO