Guia de Episódios Página 1 Página 2 Página 3 Página 4 Página 5

Produção #V811 - Episódio 11
 


ROTEIRO E PRODUÇÃO DE
Carol Stephens


IMAGENS DAS CENAS
Judi Mair

ESCRITO E DIRIGIDO POR
Denise Byrd


ILUSTRAÇÕES
Lucia

GRÁFICO DO TÍTULO DO EPISÓDIO
Linda (Calli)

TRADUZIDO DO INGLÊS POR
Chris Burle


 

PÁGINA UM

 

 

DENISE:  Está todo mundo aqui? Nós precisamos que todos participem deste Por Trás das Câmeras se as pessoas quiserem ver o que realmente acontece aqui atrás.

 

NARRADOR:  Há algum problema?

 

DENISE:  Não exatamente. Você tem que perceber, porém, que este é um projeto global.

 

 

DENISE:  Conseguir ter todos aqui juntos ao mesmo tempo simplesmente não acontece. Então nós trabalhamos por dias e semanas, às vezes meses, para trazer os roteiros à tona. Esta é praticamente uma versão crua do que acontece na lista de trabalho. Vamos lá. Vou lhe mostrar o que eu quero dizer.

 

 

03 DE MARÇO DE 2002

 

CAROL:  Eu tive umas idéias hoje antes de Denise e eu nos envolvermos no cronograma da Oitava Temporada. Eu acho que precisamos realmente mostrar o que acontece para se organizar esta temporada, em um "Por Trás da Produção da Temporada Virtual com Subtexto".

 

Eu gostaria de incluir:

 

1) Da concepção da história (pedaço de papel) até trechos de discussão da lista, de um episódio com todos "argumentando" sobre o que se está fazendo.

 

2) O que Lucia, Mary e Linda levam para criar seus gráficos (em outras palavras, salvando as várias versões enquanto vocês criam algo e o tempo e a idéia por trás disso).

 

3) Mesma coisa com Judi, de como ela pega as imagens, passando pelo processo de capturar uma tela crua e seus vários estágios ao produto final.

 

4) Então da parte que cabe a mim e a Denise nesse quebra-cabeças. Mostrando as diferentes encarnações dos roteiro enquanto ele passa do rascunho dos escritores até o que é postado na rede, para as versões em PDF, eBook, etc.

 

NARRADOR:  Algumas coisas funcionam melhor com uma real conversa ao vivo.

 

DENISE:   Por falar em cronograma, atenda o telefone. Sou eu. <risos>

 

Doze horas, sete variações e três telefonemas depois....

 

CAROL:   Acho que finalmente conseguimos. Vamos colocar na lista e ver o que eles acham. (Esta foi a primeira de muitas revisões para o cronograma.)

 

Episódio

Escritor

Entrega do Roteiro

Entrega dos Gráficos

Data de Produção

Data em que Vai ao Ar

1

A

03/07/02

17/07/02

31/07/02

25/09/02

2

B

17/07/02

31/07/02

14/08/02

02/10/02

3

C

31/07/02

14/08/02

28/08/02

09/10/02

 

 

Pausa de 2 Semanas

Pausa de 1 Semana

 

 

16 DE MARÇO DE 2002

 

NARRADOR:  Isso tudo começa com a idéia de uma história... e eles começam cedo. A equipe estava ainda trabalhando na Sétima Temporada quando a discussão sobre a Oitava Temporada começou.

 

TNOVAN:   Há algo que eu preciso fazer para a temporada?

 

DENISE:  Não para esta, mas eu estive pensando sobre a próxima. <risos>

 

TNOVAN:  Sim?

 

DENISE:  Precisamos de uma boa história conquistadora*. E eu realmente gostaria que mostrássemos como Ares foi preso na tumba.

 

* Conquistadora = histórias "clássicas", ou seja, que acontecem "na época dos deuses antigos", similar ao tempo da série Xena: Princesa Guerreira (o que exclui ubers modernas), e devem conter Xena a Conquistadora e/ou Gabrielle a Conquistadora como parte da história. Embora possa fazer referência aos "tempos modernos", o montante principal de qualquer história Conquistadora deve acontecer no "há muito tempo atrás e em um lugar bem longe daqui...", como no clássico da série Xena: Princesa Guerreira. (Nota da Tradutora)

 

MISSY:  Se Sue ou TN querem uma história conquistadora - eu gostaria de escolher a de Ares. Eu sei como Rob ia fazer isso, e agora nunca mais vai acontecer.

 

 

SUE:  Eu gostaria de fazer um episódio com a Conquistadora. Infelizmente, para ser verdadeiro para a série (que é o que estamos fazendo nosso melhor para), nós não temos tempo de desenvolver qualquer trama real dos eventos do grande conflito final agora.

 

 

TNOVAN:  Na verdade, pessoal, eu tenho um roteiro que eu estive remendando por quase dois meses... desde que descobrimos que não poderíamos usar o LC*... É um escrito de Safo e, uma vez que Missy escolheu Ares, e Sue quer fazer a Conquistadora, está tudo bem se eu continuar a lidar com esta idéia?

*LC = Last Chance, episódio escrito pela Missy. (NT)

 

DENISE:  Ok, então já temos um roteiro de conquistadora, uma história de Safo, e o sepultamento de Ares para a próxima temporada. Alguém a fim de um musical ou uma aventura de piratas? <risos>

 

 

28 DE MARÇO DE 2002

 

NARRADOR:  E às vezes coisas são discutidas e decididas mais de uma vez, e acentuadas durante o processo.

 

TNOVAN:  Nós tivemos algumas idéias para a oitava temporada e duas histórias foram mencionadas... uma peça que explica por que Ares ficou preso na tumba e uma peça Conquistadora... Missy comentou que ela gostaria de fazer a de Ares porque Rob tinha uma história que ele quis fazer... Sue disse que ela gostaria de fazer a peça Conquistadora. Eu mencionei na época que estava mexendo com uma peça de Safo desde que descobri que não poderíamos usar o LC. A peça de Safo simplesmente se escreveu sozinha... Eu fiz ambas as partes em cerca de três dias.

 

Agora o roteiro está pronto e eu sei que estamos meio atrás de um par de peças então a sugestão que foi feita seria usar esta, uma vez que está completa, e o trabalho pode ser feito para as imagens e a arte. Eu estou agora anexando os arquivos para que possam ser lidos... é em duas partes. A parte 2 é um pouco mais curta, mas eu não pude realmente ver como acrescentar qualquer cena a ela porque elas iam apenas engrossar a parte principal.


Quanto a quando ou onde isso vai eu realmente não me importo com nem um nem outro... usem-na agora, usem-na depois, ou não a usem afinal... não faz diferença para mim. Eu só as escrevi.<risos> Eu não as produzo.

 

 

26 DE JUNHO DE 2002

 

NARRADOR:  Mas a comunicação é a chave do descuido.

 

DENISE:  Eu achei que Missy estava escrevendo o episódio de Ares para mostrar como ele foi sepultado. Isso mudou?

 

TNOVAN:  Sim, me lembro de isso ter sido lançado quando falamos sobre a nova temporada. Eu estava com a impressão de que nós tivéssemos três histórias, a peça de Safo, Ares na tumba por Missy e uma peça Conquistadora por Sue.

 

LUCIA:  Da minha parte, eu não tenho qualquer problema com Ares, e também acho que poderíamos realmente fazer um episódio com ele como uma homenagem a Kevin Smith.

 

CAROL:  Isso foi o que eu pensei também e eu realmente gostaria de ver o episódio como um tributo a Kevin.

 

TNOVAN:  Concordo com Lucia, poderíamos fazer as duas coisas: fechar outro buraco falho no todo da linha da história, e dar um tributo a Kevin por tudo que ele fez pela série e seus fãs.

 

JUDI:  Eu também acho que seria um gesto bem legal para honrar Kevin.

 

MISSY:  Sim… é esse o caso. Eu disse que escreveria essa.

 

LINDA:  Parece mesmo uma idéia bem legal <risos>.

 

 

03 DE JULHO DE 2002

 

NARRADOR:  Como questionamentos e idéias para a história surgiram, eles foram levados ao pé da discussão.

 

MARYD:  Missy, é só uma idéia, mas você pode esclarecer o parentesco de Xena com Ares no roteiro que você está escrevendo?

 

MISSY:  Eu posso - se decidirmos quem ele é. (risos) Você não vai fazer com que EU faça isso. Querem que eu pergunte?

 

O episódio com Ares terá Ares aparecendo no final do segundo episódio de Sue e afanando o chakram - então eu vou fazer ele separar o chakram em uma tentativa de pegar a metade sombria de volta à Xena para recapturá-la para Ares. (Temos que conseguir aquele chakram original de volta de alguma forma)

 

Eu queria que a questão do 'Xena deseja (sexualmente) e ama Ares?' fosse respondida de uma vez por todas, preferivelmente com um belo de um longo beijo entre X e G na frente dele.

 

Xena decide sepultar Ares porque ela sabe que o tempo dele está se esgotando, os deuses já se foram todos, e tudo que ele pode trazer é morte e destruição para qualquer um que se aproxima dele. O controverso em Ares é que, sem ele, os humanos simplesmente irão massacrar uns aos outros quer queiram ou quer não, o que é a absoluta verdade quando isso acontece, mas Xena não sabe disso.

 

SUE:  Duas coisas. Eu achei que Ares iria encontrar o seu anti-herói/herói de Fallen, ver o chakram de Xena (com Janos), arrancar a parte suja dele (do chakram) e levar de volta. Dessa forma, nós podemos manter o chakram longe pelos dois primeiros episódios, se funcionar melhor assim, com Ares apenas tendo ele consigo em vez de Xena perder o chakram novamente.  <risos>

Além disso, a série estabeleceu que 1. um deus da guerra é necessário (TLW*) para evitar que o povo saia lutando sem uma causa (do jeito que Gabrielle fez) e também era necessário 2. para manter o equilíbrio com Afrodite no Olimpo. Agora, é dado que Ares é sepultado, MAS... eu acho que vamos pensar em uma razão pela qual Xena, que é a única que decidiu tanto o número um e o dois acima (e restaurou Ares à divindade não apenas uma vez mas duas por causa disso), tiraria ele do serviço.

Tem que ser dos dois males o menor. Algo até mais importante que o próprio equilíbrio entre o bem e o mal.

*Ten Little Warlords - 8º episódio da 2ª temporada (N.T.)
 

MISSY:  A surra de Ares levando na cara soa bem para mim.

 

Ares era necessário quando os Olimpianos estavam por aí, porque havia todo tipo de coisas acontecendo com os deuses. Agora os Olimpianos se foram, e aquela era acabou. Ares é um vestígio disso, e o que ele está fazendo é se debatendo para retornar a seus dias de glória.

 

Isso é meio triste, de certo modo. Mas ele está disposto a ir a qualquer finalmente para conseguir seu poder (seguidores, não divindade) de volta e talvez ele fique meio pirado com isso. Xena tem que tirá-lo dessa situação miserável de algum jeito - eu quero que o episódio seja tanto uma explicação do porquê ela fez isso, e também seja um pouco trágico, porque ela teve que fazê-lo.

 

SUE:  Isso é verdade, mas ela mandou-o de volta ao Olimpo, de divindade restaurada, em You Are There*, porque o mundo ainda precisava de um equilíbrio entre amor e guerra, então vai ter que ser algo importante que a faz deliberadamente DESFAZER o fato de ela ter dado a maçã para ele.

Vai ser interessante ver no que é que você vai pensar.

 

*14º episódio da 6ª temporada (N.T.)

 

JUDI:  Lembre-se Missy, você prometeu se livrar da tatuagem também <risos>.

 

MISSY:  Sim, mas isso foi antes de ela observar Gabrielle passar por Helicon, e antes de ele seduzir Varia, e antes de Xena morrer no FIN* e retornar novamente. Ela está dando chances a Ares por sete anos, e agora a tentativa dele de quebrar o chakram e fazer dela sua ajudante novamente eu acho que é exatamente a palha que falta nas costas do lhama**.

 

Xena tem que perceber que, enquanto Ares está por aí, ele NUNCA as deixará viver em paz. Ele nunca AS deixará viver em paz. Isso para mim é o suficiente, uma razão muito pessoal para Xena fazer o que ela faz com ele. Eu quero que seja pessoal a ela - eu não estou certa de querer que isto seja uma questão do bem maior. Sim, isso será pelo bem maior, mas eu quero Xena fazendo isso por ela e por Gabrielle.

 

* Friend in Need, episódio final da sexta temporada. (N.T.)

**a palha que falta no lhama = "a gota d'água", a peça final para esgotar um limite. (N.T.)

 

SUE:  Sabe, eu nunca pensei nisso. É absolutamente perfeito.

 

MARYD:  Eu na verdade gosto da tatuagem. Por que Missy vai se livrar dela?

 

MISSY:  Pra mim - é porque aquela tatuagem de alguma forma foi dada à Gabrielle para substituir a coisa que era sua última proteção prévia ao FIN - Xena. Então ela me aborrece.

 

Eu acho que vou encontrar um meio de ela negociá-la em troca do chakram restaurado de Xena ou algo assim. Talvez eu possa ter Ares preso em uma armadilha por Xena, fazer Gabrielle cair nela, e o preço para recuperá-la seja perder a tatuagem. Vou ver - eu me lembro de ter prometido me livrar dessa praga, se não por outra razão que seja a de dar uma folga para Lucia. (risos)

 

 

15 DE JULHO DE 2002

 

NARRADOR:  Novas idéias continuam a serem trazidas.

 

DENISE:  Eu meio que lancei essa idéia para Missy este fim de semana, de ver se ela estaria disposta a escrever isso se vocês todos estiverem de acordo. (Ela disse que sim, aliás)

 

Enfim, lembrando do tema de Fallen, e de como Xena acha que ela pode ter perdido um passo ou dois... eu gostaria de ver outro episódio dentro desse tema, especialmente uma vez que ele nunca se resolveu. Algo do estilo de Helicon, mas tem que ser Xena que está em apuros e Gabrielle que tenha que salvá-la. Podia ser algo que nós pudéssemos usar para aumentar a ansiedade entre elas um pouco também.

 

Comentários? Seria melhor se Missy explicasse o que nós discutimos. Nós todos sabemos o quão clara eu sou às vezes.

 

MISSY:  (Pequenos Desafios da Vida – Tomada 1) Na verdade - a idéia da história surgiu quando estávamos discutindo Helicon, e o quanto a história teria sido melhor se Gabrielle tivesse sido forçada a enlaçar um motivo pessoal a isso do que ter que levar as Amazonas ao castelo só porque sim.

 

Por exemplo - e se o conflito dela tivesse sido que Xena tivesse sido levada pelo B-algumacoisa, uma vez que ele era um semideus, e poderia de modo concebível tê-la dominado? E se Gabi tivesse que arriscar que as Amazonas morressem porque ela tinha que entrar naquele castelo para buscar Xena? Eu acho que esse conflito teria produzido a entrega de alma que Rob estava procurando com a idéia dessa história, e isso seria mais acreditável.

 

Então - se nós continuamos o tema de Fallen um pouco, nós teríamos feito uma história onde algo acontece com Xena, e ela consegue ser atacada de emboscada por um zilhão de espartanos ou o que for que a viesse sobrepujar, e Gabi é colocada na posição de ser forçada a vir resgatá-la, em vez do contrário. Eu teria vindo com uma substituta para as Amazonas, uma vez que nós as colocamos em um lugar seguro, mas eu acho que seria interessante colocá-la em posição de ela ter que fazer uma escolha difícil, pelas razões mais pessoais possíveis.

 

 

16 DE JULHO DE 2002

 

TNOVAN:  (Mágica no Ar - Tomada 1) X/G estão viajando por uma floresta supostamente 'encantada'. Essa é uma velha história na qual ninguém particularmente acredita, mas oh, que diabos... Então elas dormem ali durante a noite e, quando acordam, não estão mais juntas...

Gabrielle acorda em um castelo muito enfeitado, em um quarto com todas aqueles carinhas com tipo de monge fazendo reverência e caindo por sobre si mesmos para fazer tudo o que ela pede... uma cilada... Ela não tem NENHUMA IDÉIA nem mesmo de quem ela é....

Xena acorda em uma cama comum em uma pequena cabana em um vilarejo... e ela sabe exatamente quem ela é e que ela está sem sua Barda Chuta-Traseiros e ela não está nada feliz com isso. Os anciãos do vilarejo explicam que de noite os 'Altos Magos' (não, eles não estão fumando nada, eles os chamam assim porque os tais vivem nas montanhas nos arredores do vilarejo e da floresta) vieram e levaram Gabrielle.

Bem, claro, o único plano de Xena é ir pegar a Barda... mas o povo do vilarejo, que na verdade são monges,... dizem a ela que ela não pode fazer isso, porque os Magos têm uma força mística protegendo eles.

MISSY:  Por que não ter a conexão delas a algo realmente sinistro com relação a comutação de pólos? - elas trocam de corpos. Colocar a consciência da Gabi dentro de Xena e vice-versa.

 

 

17 DE JULHO DE 2002

 

NARRADOR:  A temporada começa mais cedo para a equipe.

 

SUE:  (Realidade Virtual – Parte 1) Título experimental: Realidade Virtual. Eu tinha tido uma idéia para o teste da Virtude "Esperança", e sim, isso envolveria a Esperança.


Uma coisa de cada vez:

1. As Virtudes estão testando e elas podem ver dentro dos corações de homens e mulheres. Portanto, Xena não pode simplesmente dizer a resposta correta da boca pra fora, mas tem que querer realmente dizê-la com o coração, ou ela falha no teste.

2.  Gabrielle pode ver o que está acontecendo, mas não pode de maneira alguma interferir.

3.  Mesmo embora os cenários estejam encantados, Xena, na passagem de fuga dos sonhos, pensa que eles são reais.

Isso tudo estará explicado no roteiro.

 

 

SUE:  (Realidade Virtual – Parte 1) Ok, conversando com Carol no começo da noite, nós tivemos outra idéia. A idéia da Carol era de que uma das coisas que Xena precisa para recuperar a esperança (ou mesmo OBTER esperança) é sua esperança no futuro dela e Gabrielle. Como ela já disse incontáveis vezes, ela não espera ficar velha. Guerreiros nunca chegam a isso.

Agora, eu estou tentando explicar este cenário o melhor que posso e espero que faça sentido.

 

 

SUE:  (Realidade Virtual – Parte 1) A Caridade me faz pensar em uma história... que é tanto de amor a si mesmo quanto de amor ao próximo, mas para os propósitos de Xena seria de amor por si mesma, porque eu acho que ela tem um verdadeiro problema com isso.

 

 

TNOVAN:  (Mágica no Ar - Tomada 2) Okei, caras, eu estive pensando muito nisso e por muito tempo. Tentando imaginar como fazer essa história funcionar. Eis o que eu pensei. Eu estava mais apegada ao primeiro argumento, mas como sempre eu tento encontrar um meio-termo feliz que funcione para todo mundo. Eu não acho que este terá a agonia do primeiro argumento, mas é bastante verdadeiro para os tempos antigos. <risos>

 

 

18 DE JULHO DE 2002

 

NARRADOR:  O gráfico do título começa a vir à tona uma vez que a artista tem uma idéia clara de onde a história se passa.

 

MARYD:  Eu planejo o gráfico do título na minha cabeça primeiro, depois de ler o texto experimental ou um pequeno resumo. Então, quando os primeiros atos estão começando a vir, eu tenho uma idéia melhor do que trata a história e de como o gráfico deve parecer.


Eu passo da fase de planejamento para o computador, onde eu vou em busca das imagens que estão em meu PC. Se eu não as encontrar, eu ligo para a turma dos gráficos - Judi e Calli - para ver se elas tem a cena que procuro ou eu pesquiso nos DVDs que tenho e pego a cena eu mesma. Se eu precisar de um plano de fundo que não esteja no meu PC, nem com a turma dos gráficos nem em DVD, eu me conecto com o arttoday.com, onde eu tenho uma conta e procuro por ele lá. Uma imensa biblioteca de gráficos está sempre disponível tanto no meu PC quanto nos da Judi/Calli e nenhuma de nós terá o gráfico que preciso.

Quando eu tenho todos os gráficos que preciso, eu pego cada imagem, as ponho em ordem, depois aumento ou diminuo o tamanho delas para o que eu preciso. Eu crio uma nova tela - normalmente cerca de 800 x 600 (mesmo que ela fique menor no site) e começo a fazer o plano de fundo. Eu gosto de trabalhar com uma tela escura, mas pode ser clara ou multicolorida. Eu então coloco as imagens (similar a um quebra-cabeça recortado) em seus lugares. Às vezes um gráfico irá precisar ser alterado - um cabelo ser mais cheio, olhos mais azuis (hehe) ou mudar o chakram do novo para o velho agora que Xena está com o velho chakram de volta.

O processo pode levar algo de 2 a 4 horas, dependendo do que eu tiver em mente, o quão difícil a busca foi, ou se eu mudei de idéia no meio do processo e fui por outro caminho.

Quando eu estou satisfeita, eu envio uma versão esboçada para o grupo de discussão. Se eu inadvertidamente dei o chakram errado pra Xena ou reverti uma imagem e esqueci de mudar o chakram e a espada no lugar certo, eu vou refazer a imagem para refletir essa mudança. Se alguém tem uma sugestão sobre mudar a Gabrielle ou a Xena de uma posição a outra, ou usando outra imagem, então essa mudança é feita. Depois, quando a turma estiver feliz com isso, a imagem pode descansar.

 

 

MARYD:  Preliminar - Gráfico do título: Primeiro episódio - Marca 1. Este gráfico é para o primeiro episódio - Eu preciso de um nome para o episódio para colocar o título no gráfico.

 

MARYD:  Revisado (Realidade Virtual – Parte 1).  Adicionado ao gráfico do título e feitas algumas mudanças 'cosméticas'. <risos>

 

SUE:  (Realidade Virtual – Parte 1) Ok, eis o prólogo para todos lerem e comentarem.

 

 

FIM DA PÁGINA UM

 

PÁGINA DOIS