Guia de Episódios Prólogo Primeiro Ato Segundo Ato Terceiro Ato Quarto Ato

Produção #V814 - Episódio 14
(Final da Temporada)

"Ecos" 


ESCRITO POR
Melissa Good


DIRIGIDO POR
Denise Byrd


PRODUZIDO POR
C
arol Stephens

IMAGENS DAS CENAS
Judi Mair


ILUSTRAÇÕES
Lucia


GRÁFICO DO TÍTULO DO EPISÓDIO
MaryD

TRADUZIDO POR
Chris Burle


 

PRÓLOGO

 

FADE IN:

 

CENA EXT. ESTRADA MUITO EMPOEIRADA - FINAL DA TARDE

 

É uma noite escura e ameaçando ser tempestuosa. Xena e Gabrielle estão caminhando outra vez subindo por uma extensa série de acidentadas pistas de carroça ao fim de ainda outra longa série de dias intermináveis.

 

Xena chuta uma pedra na frente dela. Gabrielle está praticando malabarismo, usando três pequenas pinhas. Argo II anda a passo lento bem atrás delas.

 

GABRIELLE

Quer tentar fazer uma

casa de árvore esta noite?

 

Xena chuta a pedra ainda mais à frente.

 

XENA

Casa de árvore?

 

GABRIELLE

É, você sabe, como vimos aqueles

macacos fazerem daquela vez. É

só algo diferente pra variar.

 

 

XENA

Você está dizendo que meus

acampamentos são chatos?

 

Gabrielle continua fazendo malabarismo, em silêncio.

 

XENA

(continua)

Gabrielle?

 

Gabrielle atira uma pinha para Xena. Xena a apanha, depois a arremessa de volta. Elas começam a fazer malabarismo entre elas.

 

GABRIELLE

É você quem vive dizendo

que precisa de variedade.

 

Xena coleta todas as três pinhas. Ela as atira por sobre a cabeça para dentro da floresta, e se junta a Gabrielle no centro da estrada.

 

XENA

Que tal nós brincarmos de macaco

algum outro dia? Há uma cidade à

beira-mar bem acima desta estrada.

 

Ela pára e olha para o céu.

 

XENA

(continua)

Com estas nuvens, eu iria preferir

estar debaixo de um teto.

 

Gabrielle se apruma.

 

GABRIELLE

É. Eu realmente preferiria algo

mais macio do que... hum....

 

Xena passa o braço por sobre os ombros de Gabrielle.

 

XENA

Do que?

 

Gabrielle dá tapinhas em várias partes da anatomia de Xena, que começa a assobiar.

 

GABRIELLE

Ei, você jogou fora

minhas pinhas.

 

XENA

Achei que você já tivesse

terminado de usá-las.

 

Gabrielle franze as sobrancelhas.

 

GABRIELLE

Ei, estou compreendendo o quê da coisa.

Acho que passar um tempo no seu

corpo tirou isso de mim.

 

XENA

Hum. Ainda não consegue

pressentir a chuva, né?

 

 

Gabrielle faz uma careta.

 

GABRIELLE

Essa parte de estar no

seu corpo eu não perdi.

 

XENA

(fazendo-se de insultada)

Ah hah. Você perdeu alguma parte?

 

Gabrielle olha para Xena, depois sorri maliciosamente.

 

CORTA PARA:

 

CENA EXT. SOSSEGADA E INDESCRITÍVEL CIDADE À BEIRA-MAR - PÔR-DO-SOL

 

O céu está agora cheio de nuvens de tempestade, quase obscurecendo o pôr-do-sol. Porém, isso produz um lindo visual sobre a água. Gabrielle observa enquanto elas caminham na direção da entrada da cidade.

 

GABRIELLE

Não é lindo?

 

 

XENA

Não para um marinheiro.

 

Gabrielle pára. Xena vem parar ao lado dela. O vento aumenta, e sopra seus cabelos para trás enquanto elas observam o sol colorindo as ondas de carmim.

 

GABRIELLE

Então estou feliz de não ser um marinheiro.

 

Xena segura no ombro de Gabrielle. Elas se viram e caminham na direção dos portões. O lugar parece bastante deserto. Uma galinha corre pela estrada na frente delas, e várias gaivotas giram sobre suas cabeças.

 

XENA

Que quieto.

 

GABRIELLE

É.

 

Há pequenas cabanas espalhadas pelo vilarejo. Redes de pesca estão penduradas para secar na frente de muitas delas, mas outras parecem vazias e abandonadas. Um mercado vazio fica de frente para a água, com apenas um par de caixas e um feixe de palha esquecido dentro dele.

 

Os cascos de Argo II soam muito alto na estrada empoeirada.

 

Perto da beira da cidade, há uma pequena construção, de um único andar, mas com vários aposentos fixados a ângulos indefinidos em direções diferentes. Uma porta se abre na frente e um homem se lança para fora, avistando-as e correndo na direção delas.

 

XENA

Você acha que isso é um bom sinal?

 

GABRIELLE

Imagino que iremos descobrir.

 

O homem as alcança.

 

HOMEM

Bem-vindas, viajantes! Bem-vindas!

 

GABRIELLE

(à parte)

Até agora muito bom.

 

 

XENA

Obrigada. Estamos procurando

um lugar para ficar por...

 

HOMEM

Um quarto? Um quarto para a noite? Oh, sim!

Sim, nós temos um! Nós temos vários...

Temos grandes e um pequeno. Não

querem vir comigo? Tenho certeza que nós

podemos deixar vocês muito, muito confortáveis!

 

Xena e Gabrielle trocam olhares.

 

GABRIELLE

Claro. Parece ótimo. Obrigada!

 

O homem as leva na direção do prédio térreo, se virando a cada alguns passos para observá-las seguindo-o, sua expressão é quase ansiosa.

 

CORTA PARA:

 

CENA INT. ESTALAGEM DA CIDADE - NOITE

 

O trovão ressoa sobre suas cabeças, sacudindo as paredes um pouco. Xena e Gabrielle relaxam a uma mesa, a única mesa ocupada na estalagem inteira. Elas têm o lugar todo para elas.

 

GABRIELLE

Está... hum....

 

XENA

Quieto.

 

GABRIELLE

É.

 

XENA

Eu gosto disso.

 

Xena toma um gole de sua caneca. O estalajadeiro entra e corre até elas.

 

ESTALAJADEIRO

Bem, bem, tudo está certo?

 

GABRIELLE

Simplesmente ótimo. Você disse

algo sobre um quarto?

 

ESTALAJADEIRO

Sim! Oh, sim. Eu tenho um maravilhoso,

um lindo quarto para vocês.

(pausa)

E.... e....

 

XENA

Sim?

 

O estalajadeiro parece um pouco nervoso enquanto ouve a chuva.

 

ESTALAJADEIRO

Uma vez que vocês são minhas primeiras clientes desta

noite, eu tenho uma proposta especial para vocês.

 

Xena espia o aposento vazio, depois olha para o estalajadeiro ceticamente.

 

XENA

Primeiras clientes? Únicas

clientes, eu aposto.

 

 

GABRIELLE

Shhi, Xena.

(para o estalajadeiro)

Qual a proposta?

 

ESTALAJADEIRO

Nosso famoso banho de lama

termal! Vou colocar de graça!

 

Xena e Gabrielle olham uma para a outra.

 

GABRIELLE

Banho de lama?

 

XENA

Você cobra por um banho de lama?

Eu posso ir lá fora e tomar uma

dúzia deles, sem pagar nada.

 

O estalajadeiro ri nervosamente.

 

ESTALAJADEIRO

Não não... Esta é uma lama especial.

Faz muito bem para a derme!

 

Ele olha de Gabrielle para Xena.

 

ESTALAJADEIRO

(continua)

Realça a sua beleza, entende?

Vamos lá. É uma coisa muito boa!

 

Xena coça a linha do queixo.

 

GABRIELLE

(examinando Xena)

Você tem uma derme?

 

As sobrancelhas de Xena saltam para cima.

 

XENA

Que Hades. Eu vou experimentar qualquer coisa.

 

Ela fita uma maliciosamente sorridente Gabrielle.

 

XENA

(continua)

Ou quase.

 

ESTALAJADEIRO

Eu vou preparar tudo!

Você não vai se arrepender!

 

O estalajadeiro parte. Xena e Gabrielle terminam a leve refeição na mesa diante delas. A quietude do aposento é quase opressiva. Apenas o ritmo da chuva a interrompe.

 

GABRIELLE

Este lugar não te

dá arrepios?

 

 

Xena dá de ombros.

 

XENA

E o que é que nos dá arrepios?

 

Gabrielle morde uma maçã, pensativa.

 

GABRIELLE

Hunf.

 

Ela oferece a maçã para Xena.

 

GABRIELLE

(continua)

Qufrr proffar?

 

Xena se inclina e dá uma mordida.

 

CORTA PARA:

 

CENA INT. QUARTO DA ESTALAGEM - NOITE

 

O trovão agora realmente sacode o prédio. As velas tremem. As folhas de madeira da janela batem contra as paredes.

 

O quarto é grande, relativamente plano, e tem uma imensa banheira no centro dele. Dentro da banheira, Xena está sentada, enterrada até o pescoço na lama. A expressão em seu rosto diz tudo.

 

Gabrielle entra. Ela circula a banheira duas vezes, depois se inclina nela.

 

GABRIELLE

Sabe, Xena...

 

 

XENA

Não diga nada. Nem pense

nisso. Ou em outra coisa.

 

Gabrielle tira um dedo cheio de lama e a examina.

 

GABRIELLE

Isso na verdade não é mesmo lama.

É mais como um...

 

XENA

Pudim.

 

GABRIELLE

É.

 

XENA

Já chega. Estou fora disso.

 

Xena sai da banheira. Ela está coberta da cabeça aos pés no gelatinoso barro. Ela sai da banheira fazendo um som de sucção e balança o pé se livrando de vários globos de lama.

 

XENA

(continua)

Ótimo. Simplesmente ótimo.

 

 

Gabrielle está tentando reprimir uma risada. Xena esfrega a costa da mão pelo rosto, ficando com lama nos lábios.

 

XENA

(continua)

Bah… pfft.... ahm?

 

Xena lambe os lábios. Sua expressão se altera. Gabrielle se aproxima dela curiosamente.

 

GABRIELLE

O quê?

 

XENA

Hum. Isso não é nada mal.

 

Gabrielle toca levemente em um pouco de lama da pele de Xena e a cheira. Cuidadosamente, ela prova o gosto. Intrigada, ela cutuca Xena levando-a na direção da cama.

 

GABRIELLE

E está por você toda.

 

 

XENA

É. Eu terei que ir lá fora

na chuva para tirar isso.

 

Gabrielle começa a sorrir.

 

GABRIELLE

Isso é... Doce.

(pausa)

Acho que eu gosto.

 

Lentamente, Gabrielle empurra Xena para baixo, na cama, depois escala para cima e monta de pernas abertas sobre Xena quando ela se deita estirada de costas.

 

XENA

O que você está fazendo?

 

Gabrielle deixa cair sua camisa de dormir e meneia os dedos, com um sorriso diabólico em seu rosto.

 

GABRIELLE

Pegando minha sobremesa.

 

 

A tempestade se intensifica lá fora. Bem longe, ouve-se o som de um sino marinho, mas seu tom é é praticamente apagado por um ribombo de trovão. Xena se estica e apaga a vela, sorrindo enquanto Gabrielle se inclina sobre ela.

 

 

Na escuridão, o sino soa novamente.

 

FADE OUT.

 

FIM DO PRÓLOGO

 

PRIMEIRO ATO